EUA multam farmacêutica por marketing de droga psiquiátrica

A empresa AstraZeneca vai pagar multa de US$ 520 milhões (R$ 917 milhões) como parte de um acordo feito com o governo dos Estados Unidos. A farmacêutica estava sendo investigada por ilegalidades no marketing do remédio para esquizofrenia Seroquel. A droga é vendida no Brasil.

"A AstraZeneca fazia pagamentos aos médicos, em um esquema ilegal para vender remédios para usos não aprovados", diz Kathleen Sebelius, secretária de Saúde americana. Ela afirma que a empresa promovia a droga para usos não aprovados, como em crianças, idosos e veteranos de guerra. A AstraZeneca divulgou uma nota afirmando que nega as acusações, mas que aceitou pagar para encerrar as investigações.

Essa é a quarta gigante do setor a ter que pagar multa em acordos sobre marketing ilegal de drogas antipsicóticas, uma categoria lucrativa de remédios que subiu rapidamente para o topo de vendas nos EUA. A empresa ainda enfrenta 25 mil processos de pacientes. Eles alegam que a AstraZeneca não divulgou os riscos do remédio.

O Seroquel tem sido receitado de maneira indiscriminada para crianças e idosos, prática não aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration). O remédio causou ganho rápido de peso em crianças. Os efeitos colaterais, que incluem até mortes, levaram a alertas contra sua indicação para idosos.

As farmacêuticas não podem promover drogas para usos não aprovados pelo FDA. A AstraZeneca divulgou ter vendido US$ 4,9 bilhões em comprimidos de Seroquel em 2009.

No maior caso desse tipo, a Pfizer pagou US$ 2,3 bilhões em setembro de 2009, incluindo US$ 1,3 bilhão na maior multa já cobrada na história dos EUA por marketing ilegal do analgésico Bextra e de outras drogas. O Bextra foi tirado do mercado em 2005. A nova geração de antipsicóticos superou as drogas para colesterol como a categoria mais vendida nos EUA.

O Seroquel, que custa mais de US$ 4 a unidade, foi a quinta droga mais vendida nos EUA no ano passado, segundo a IMS Health. No Brasil, uma caixa com 28 comprimidos de 100 mg custa R$ 270.

A AstraZeneca havia negado má conduta durante as investigações sobre o Seroquel. A empresa já pagou US$ 656 milhões para se defender contra os mais de 25 mil processos civis que começaram a ser julgados recentemente. A empresa argumentou que pessoas que desenvolveram diabetes após tomar o remédio já apresentavam fatores de risco da doença. De acordo com e-mails internos da empresa divulgados por causa dos processos, a AstraZeneca escondeu um estudo de 1997, mostrando que os usuários engordavam cinco quilos por ano, e tornou público um outro estudo dizendo que as pessoas perdiam peso. Os e-mails também falavam da "cortina de fumaça" feita em torno de estudos desfavoráveis.

Fonte: http://ias2.epharmatecnologia.com.br/sa/sec/newsdtl_dtl?p_informa=25620

Textos relacionados:
© Sindiprofase 2008 - Todos os direitos reservados :: Entre em contato