EMS CONCLUI EM MAIO IMPLANTAÇÃO DO IPAD EM 100% DA SUA FORÇA DE VENDAS

A EMS foi um dos primeiros laboratórios nacionais a implantar o iPad, tablet da Apple, em sua Força de Vendas, composta por 1,5 mil representantes. Esse projeto foi iniciado em setembro de 2010 e, atualmente, pelo menos 800 propagandistas da divisão de prescrição EMS Sigma Pharma já estão abordando os médicos com o equipamento. Até o final de maio, 100% da Força de Vendas estará utilizando a ferramenta.
Com isso, a empresa inicia uma nova era na comunicação com a classe médica, substituindo o modelo baseado na utilização de material impresso como principal meio de levar informação aos consultórios. A EMS investiu R$ 2,5 milhões para fornecer essa nova tecnologia para todos os propagandistas, que realizam mais de 400 mil contatos médicos por mês. Com a implantação definitiva desse projeto, o laboratório economizará R$ 4,2 milhões por ano com a impressão e distribuição de materiais e deixará de utilizar cerca de 50 toneladas de papéis, quantidade registrada no ano passado.
De acordo com o vice-presidente de Marketing, Waldir Eschberger Jr., são vários os objetivos da EMS com a adoção dessa novidade. "Modernizar o contato periódico realizado com os médicos é um deles", destaca o executivo. "Os nossos representantes, ao conhecerem o perfil e o interesse dos médicos que visitam, poderão preparar uma apresentação sob medida para cada um e a customização da comunicação será um dos grandes benefícios proporcionados pelos iPads", explica. O vice-presidente destaca também a economia financeira e o foco na sustentabilidade. "A EMS vem buscando uma alternativa economicamente viável e com olhos no nosso compromisso com a sustentabilidade há algum tempo. Essa ferramenta nos permitirá reunir essas duas nece ssidades", revela.
 
Benefícios
Com a nova plataforma digital, as informações a serem transmitidas estarão sempre atualizadas. No tradicional modelo de propaganda médica, se um determinado material apresentar erros ou estiver incompleto, o representante não pode fazer nada, a não ser esperar que uma nova versão seja impressa. Com a ferramenta, a apresentação poderá ser modificada a qualquer momento, rompendo, assim, os atuais limites existentes.
A adoção dos tablets também ampliará o repertório e a base de dados que o representante levará para as visitas. Com a tecnologia, ele pode ter em mãos informações de todo o portfólio da empresa, algo que em uma comunicação baseada em material impresso é impossível. Além disso, se o médico pretender visualizar as conclusões de um determinado estudo clínico, este conteúdo estará vinculado à apresentação e poderá ser compartilhado na mesma hora com o médico via e-mail, já que o equipamento tem acesso à internet.
Eschberger destaca mais um ganho com a implantação desse projeto: agilidade na comunicação entre a empresa e a Força de Vendas. "Futuramente, será possível saber em tempo real onde o representante está", ressalta. De acordo com ele, os relatórios que esses profissionais devem enviar à empresa também deixarão de ser impressos. Tudo será feito via internet, proporcionando ganho de tempo para os representantes, redução de custos e o rompimento dos limites de comunicação com o médico, com maior liberdade para abordá-lo e mais rapidez para obter novos conteúdos e atualizações. "Em linhas gerais, o projeto visa a construção de uma comunicação mais ágil, eficiente e moderna, e sustentavelmente correta. E o retorno que estamos tendo por parte dos médicos que já conheceram a ferramenta tem sido ótimo", ressalta.
 
Etapas do projeto
A adoção dos iPads pelos representantes médicos da EMS foi planejada em etapas. A primeira teve início em setembro de 2010. Nos primeiros quinze dias daquele mês, os aparelhos foram demonstrados a cardiologistas da capital paulista. Ainda em setembro, a ferramenta foi apresentada no Rio Grande do Sul a cerca de 1,3 mil médicos. A estratégia de levar os iPads para o sul do País foi relacionada ao lançamento do Lipistat, medicamento para controle do colesterol, que ocorreu inicialmente em Porto Alegre (capital e interior).
Outra etapa dessa ação ocorreu no final de 2010, com a implementação de mais aparelhos para representantes em todo o País. Hoje, são pelo menos 800 equipamentos em utilização. A etapa conclusiva acontecerá ainda em maio, quando todos os 1,5 mil representantes estarão com a ferramenta.Antes de sair às ruas com a nova tecnologia, cada representante recebe treinamento específico. As impressões relacionadas ao uso dos iPads são positivas. "A aprovação do equipamento é geral. O aumento no tempo de propaganda e a atenção dos médicos para com a mesma são os ganhos mais importantes. É um diferencial que chama a atenção e levanta elogios", afirma o representante de São Paulo, Clayton Luiz da Silva.
Textos relacionados:
© Sindiprofase 2008 - Todos os direitos reservados :: Entre em contato